Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/a9985/public_html/plugins/system/piwik/piwik.php on line 71
Associação dos Geógrafos Brasileiros - Página principal
Página Principal

XVIII Encontro Nacional de Geógrafos

4ª Edição do AGB em Debate - Gestão 2014-2016/ Nova Chamada AGB em Debate 1ª Edição Gestão DEN 2016-2018.

 

É com prazer que apresentamos essa Nova edição do AGB em Debate, uma das principais ferramentas de comunicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros com as Seções Locais e os seus associados, mas também com a Geografia brasileira e a sociedade, o AGB em Debate vem em sua edição 4a edição da gestão 2014-2016 divulgar importantes ações e eventos que a entidade construiu recentemente. Nesta edição, você lerá sobre a participação da AGB na Caravana Territorial do Rio Doce em texto do Coletivo de Articulação de GTs da AGB; o GT Educação e Ensino de Geografia da seção local Rio de Janeiro abordará o significado pedagógico das escolas ocupadas no Rio; Em seguida é apresentado o uso de sacolas agroecológicas no Mato Grosso do Sul no texto da AGB Três Lagoas; A AGB Uberlândia apresenta a entrevista realizada em atividade da local com a geógrafa Dirce Maria Suertegaray; A Carta de São Luís elaborada na 126 RGC também é apresentada, abordando o posicionamento da entidade sobre a situação política contemporânea; Por fim, conheça as principais discussões das últimas Reuniões de Gestão Coletiva (124a, 125a e 126a RGCs). É com muito prazer que se inicia uma nova publicação da AGB em Debate, concretizando-se assim, a 4ª edição da gestão 2014-2016 nesse incansável desejo de comunicação que a AGB precisa e se propõe a fazer. Boa leitura!

Diretoria Executiva Nacional DEN-2014-2016

AGB Seção Local Uberlândia

 

É com muito prazer que o Coletivo de Comunicações da Diretoria Executiva Nacional da AGB - 2016-2018 solicita às Seções Locais e aos Grupos de Trabalho a nos enviarem textos e registros de atividades até a data 10/12/2016 para compor a primeira Edição do "AGB em Debate" biênio 2016-2018, para ser divulgado no final deste ano. O informativo da AGB se apresenta como mais um instrumento de luta de nossa entidade e um canal de comunicação privilegiado com a comunidade agebeana, geográfica e a sociedade em geral. Os textos devem ser sucintos, com no máximo duas páginas. Em caso de textos maiores, pedimos que seja enviado um resumo para publicação no "AGB em Debate"; um link irá direcionar o leitor para página da AGB, onde o material poderá ser lido na íntegra.

 

Os arquivos devem ser enviados para: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo." target="_blank">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até a data referida.

 

 

 

Coletivo de Comunicações AGB – DEN Biênio 2016-2018.

 

 

Attachments:
Download this file (agbemdebate4ed2016.pdf)AGB em Debate - 4 edição 2014-2016.[ ]2190 kB

A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) completa 82 anos de história!

A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) completa 82 anos de história!

 

Reunião da Diretoria Executiva Nacional Biênio 2016-2018.

 (Reunião Diretoria Executiva Nacional da AGB Biênio 2016-2018 18/09/2016)

 

A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) comemora seu 82º aniversário com propósitos de se manter atuante e comprometida com a ciência geográfica. Octogenária, não se tornou ultrapassada: promove o conhecimento científico a partir do diálogo permanente entre geógrafas e geógrafos em todas as linhas de pesquisa. Assim é que, tendo surgido em meados da década de trinta do século passado, a história institucional da entidade está integrada à história da Geografia e do pensamento geográfico brasileiro.

 

Uma Diretoria Executiva Nacional e as várias Seções Locais (com eleições a cada dois anos) formam a estrutura e o corpo da AGB, cuja construção ocorre nas Reuniões de Gestão Coletiva (RGC), nos Grupos de Trabalhos (GT), nos eventos nacionais como o Encontro Nacional de Geógrafos (ENG), que caminha    para a sua XIX edição, o Congresso Nacional de Geógrafos (CBG) e o Encontro Nacional de Ensino de Geografia (Fala Professor), além de nas demais atividades promovidas pelas Seções Locais. A construção se dá também por meio das publicações que a Associação mantém. Boa parte da produção científica da Geografia brasileira encontra-se publicada em Anais de seus Encontros e Congressos, sendo também responsável pela publicação da Revista Terra Livre e do jornal AGB em Debate, somadas a muitas outras publicações das Seções Locais.

 

Hoje a AGB é uma entidade que reúne geógrafos, professores e estudantes preocupados com a promoção do conhecimento científico, filosófico, ético, político e técnico da Geografia para que se possa oferecer à crítica da sociedade uma abordagem geograficamente consistente dos seus/nossos problemas. A AGB está de portas abertas para receber todas e todos que tenham interesse de construir essa historia.

 

  

 A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) - origens, idéias e transformações: notas de uma história. (Charlles da França Antunes) (http://livros01.livrosgratis.com.br/cp127107.pdf)

 Diretoria Executiva Nacional - Biênio 2016-2018.             

                                                                                                                                                          

Carta Política Caravana Territorial da Bacia do Rio Doce

 Carta Política da Caravana Territorial da Bacia do Rio Doce:                                                                                     Movidos pelo sentimento de justiça, indignação, luta, resistência e vontade de transformar o modelo de sociedade e de desenvolvimento de nosso país, pessoas de dezenas de organizações decidimos construir a Caravana Territorial da Bacia do Rio Doce logo após o desastre-crime ocorrido com o rompimento da barragem de Fundão no dia 05 de novembro de 2015, envolvendo as empresas mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton. Tratou-se de uma enorme tragédia anunciada que matou 20 pessoas, desalojou centenas de suas casas destruídas pela lama de rejeitos, contaminou, afetou e destruiu a vida da bacia do Rio Doce, uma das mais importantes da região sudeste e do país, afetando milhões de pessoas que vivem e dependem dessa água e dessas terras. Estamos diante da maior catástrofe socioambiental do Brasil, e talvez a maior da megamineração de ferro no mundo. Como presenciamos na Caravana, os atingidos são muitos e encontram-se em diferentes escalas. Afinal de contas, que desenvolvimento é este que mata e destrói? Quem é quem neste modelo? Que alternativas temos para construir uma sociedade mais soberana, justa, que respeite a natureza, a cultura e o trabalho de homens e mulheres? A Caravana Territorial buscou enfrentar essas e outras questões. Ela é um instrumento político-pedagógico construído pelo movimento agroecológico no Brasil, junto com diversas entidades, redes e movimentos sociais, como a Associação dos Geógrafos Brasileiros.


 

Carta de São Luís - XVIII Encontro Nacional de Geógrafos

 Carta de São Luís

Nós geógrafas(os) reunidas(os) no XVIII Encontro Nacional dos Geógrafos, “A construção do Brasil: geografia, ação política e democracia” em São Luís-MA, entre os dias 24 e 30 de julho de 2016, posicionamo-nos a respeito da atual situação política do país nesse momento histórico. A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), reafirmando sua perspectiva de compromisso social e político com o desenvolvimento democrático do território brasileiro, faz uma análise crítica e radical da situação atual e compreende que a construção do Brasil apresenta-se nesse momento mais complexa do que o reducionismo espetacularizado pela grande mídia.

Mantemo-nos em posição clara de não alinhamento com posturas conservadoras e reacionárias ao propor a análise do Estado e suas políticas. De fato, pactos políticos que emergiram no início dos anos 2000 estão rompidos, são acirradas as lutas de classe e grupos animam-se em propor retrocessos sociais, políticos e econômicos duramente conquistados.

Analisando o quadro atual, declaramo-nos contra o “impedimento” da presidenta, eleita em 2014, afastada por um golpe político-jurídico-midiático. Mas vamos além, e considerando os aspectos socioespaciais envolvidos nas disputas pelo poder, não só no Brasil, mas em boa parte da América Latina, temos clareza das conquistas e retrocessos que marcam o território brasileiro e que implicam em temáticas traduzidas por lutas sociais candentes: dos conflitos pela demarcação de terras indígenas e quilombolas e o abandono da reforma agrária em favor dos interesses do agronegócio, da indústria e da mineração; dos movimentos sociais urbanos frente à ampliação danegação do direito à cidade e do genocídio da juventude negra e indígena das periferias; contra a financeirização geral da economia, em especial o financiamento da educação superior privada; o violento processo de censura aos professores a partir de movimentos de desideologização da educação, através do movimento escolas sem partido e da lei da mordaça; a criminalização dos movimentos sociais, exacerbada agora com a Lei Antiterrorismo; a violência de gênero e as formas de controle sobre os corpos.

Se por um lado o texto Constitucional é afirmado para fazer valer os direitos das elites, por outro lado o mesmo texto não é respeitado quando se trata do povo. Ataques e descumprimentos à Constituição são históricos e recorrentes, revelando a seletividade do sistema democrático. Vivemos em uma sociedade construída sob bases de uma “democracia racionada”, a qual não é nem totalmente democrática, tampouco é totalmente uma ditadura.

 Reafirmamos o compromisso da AGB com as lutas populares e nos somamos aos que, nas ruas, nas greves, nas salas de aula, no seu cotidiano buscam contribuir para a construção de uma sociedade justa, democrática e igualitária.

 

FORA TEMER! ABAIXO O GOLPE POLÍTICO-JURÍDICO-MIDIÁTICO! 

Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB)                                   

XVIII Encontro Nacional dos Geógrafos

“A construção do Brasil: geografia, ação política e democracia”

24 a 30 de Julho de 2016

UFMA – São Luís/MA

Nota em apoio a luta do povo indígena Gamela

Nota em apoio a luta do povo indígena Gamela

 Nós, entidades, associações, movimentos sociais e comunidades, declaramos apoio e solidariedade ao povo indígena Gamela, que realizou no dia 15/08/2016, a retomada de mais uma parte do seu território tradicional, que se encontrava invadida por fazendeiros e empresários no município de Viana/MA, totalizando 8 retomadas feitas até o momento.

A área retomada trata-se de uma fazenda ás margens do rio Piraí, local sagrado para o povo Gamela, pois é morada de João Piraí, encantado protetor do rio e do povo. O local estava sendo destruído por fazendeiros que devastaram suas margens, assorearam seu leito, retiraram dele milhares de toneladas de barro para cerâmica – tijolo e telhas e desviaram o leito do rio para dentro dos açudes, afetando na reprodução e provocando a extinção dos peixes fonte de alimentação do povo.

Somos testemunhas que desde 2013 esse povo vem num processo de insurgência, lutando pela afirmação de sua identidade e do seu território. Essa luta, legítima, não vem sendo respeitada pelo governo federal, por meio da FUNAI, que tem obrigação legal de fazer a regularização fundiária dos territórios indígenas, uma obrigação prevista na Constituição Federal. Dessa forma, os indígenas empreendem ações próprias, colocando em risco até mesmo suas vidas. Pois no inicio do ano os indígenas denunciaram que o mesmo invasor dessa área que foi retomada, havia colocado homens armados (pistoleiros) para intimidá-los, os mesmos denunciaram tal fato bloqueando a MA-014, estrada que corta o território indígena.

Portanto, reconhecemos que a luta do povo Gamela é legítima, e repudiamos quaisquer ações que poderão ser praticadas por fazendeiros tais como:

1. Ameaças de morte a lideranças do povo;
2. Contratação de milícias;
3. Disparo com arma de fogo contra o acampamento;
4. Intimidação de indígenas nas comunidades para entregar informações;
5. Aliciamento de jovens com promessa de emprego nas cidades (Viana, Matinha e São Luís.
6. Destruição dos recursos naturais, espaços sagrados e simbólicos de culto, cura, ervam medicinais e de alimentação, fundamentais à sobrevivência física e cultural do povo. 

Leia mais...

Pagina 6 de 23

História da AGB

Docs / SupportAqui você pode encontrar um pouco mais sobre a história da AGB e sua ata de fundação.

Leia mais...

Legislação / Estatuto

Docs / SupportVeja aqui a legislação que regulamenta a profissão de geógrafo, o estatuto da AGB e como criar uma Seção Local da AGB.

Leia mais...

Contato

icon-contatoAqui você pode verificar os meios para entrar em contato com a AGB.

Saiba mais aqui...

Free business joomla templates