Crítica materialista e metafísica social sob as determinações críticas do capital

Anselmo Alfredo

Resumo


A crítica social dialética está assentada na crítica de Marx. Nesta medida, o que se constituiria uma crítica social se daria através de termos pertencentes a esta crítica social. Assim, materialismo, história e dialética, se fariam, segundo o argumento deste artigo, numa relação negativa devido a que Marx chamou n’O Capital de “metafísica” como determinação social. Esta seria a negação da matéria, da história e da dialética, tomadas naturalmente, fisicamente. Nesta forma, ter-se-ia a forma física como identitária da ilusão necessária para o modo social, isto é, para a modernização, para o capital. A crítica social se faria, assim, pela metafísica, o tempo social de trabalho, que traria a negatividade material e histórica como condição social. A contradição entre físico e metafísico, argumentaremos, põe o universo lógico da crítica social de Marx, isto é, a crítica ontológica e a crítica à ontologia, que se fariam como os termos limites da crítica dialética. A crise relaciona-se com a negatividade material e histórica como forma de uma crise lógica da própria dialética, já expressa por Marx.

Palavras-chave


Matéria, história, dialética, natureza/physis, sociedade/metaphysis, valorização e crise

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. Dialectica negativa. Trad. José Maria Ripalda. Madrid: Taurus, 1986.

ALFREDO, Anselmo. Crítica à economia política do desenvolvimento e do espaço. São Paulo: Annablume, Fapesp, 2013.

ALFREDO, Anselmo. Crise imanente, abstração espacial. Fetiche do capital e sociabilidade crítica. In: Terra Livre. Revista da Associação Nacional de Geógrafos, ano 26, vol. 1, n. 34, jan-jun 2010, p. 37-62.

ALTHUSSER, Louis. Pour Marx. Paris: Masperos, 1965

ALTHUSSER, Louis. Ler O Capital. Rio de Janeiro: Zahar, 1997

ANDERSON, Perry. Considerações sobre o marxismo ocidental. São Paulo: Boitempo, 2004.

BOURGEOIS, Bernard. Hegel. Os atos do espírito. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

DAMIANI, Amélia Luisa. Espaço e geografia: Observações de método. Elementos da obra de Henry Lefebvre. Ensaio de geografia urbana a partir da metrópole de São Paulo. Livre Docência (DG/FFLCH/USP), 2008.

FAUSTO, Ruy. Dialética Hegeliana. Dialética Marxista. A produção capitalista como produção simples. São Paulo: Brasiliense/Paz e Terra, 1997.

GIANNOTTI, José Arthur. Origens da dialética do trabalho. Estudos sobre a dialética do jovem Marx. Porto Alegre: L&PM, 1985.

GIANNOTTI, José Arthur. Marx vida e obra. São Paulo: L&PM, ano

GIANNOTTI, José Arthur. Certa herança marxista. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

GROSSMAN, Henryk. La ley de acumulación y del derrumbe del sistema capitalista. Una teoria de las crisis. Mexico: Siglo XXI, 1979.

HARVEY, David. O enigma do capital: e as crises do capitalismo. Trad. João Alexandre Peschanski. São Paulo: Boitempo, 2011.

HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo: Loyola, 2012.

HARVEY, David. A liberdade da cidade. Trad. Anselmo Alfredo, Tatiana Schor e Cassio de A. Boechat. In: GEOUSP, Espaço e Tempo. Revista de Pós-graduação, n. 26, pp. 09-17, 2009.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. (Os Pensadores). São Paulo: Abril Cultural, 1980.

KURZ, Robert. O colapso da modernização. Da derrocada do socialismo de caserna à crise do capitalismo mundial. Paz e Terra, 1993.

LEFEBVRE, Henri La production de L’espace.Paris: Anthropos, 2004,

LEFEBVRE, Henri. La pensée de Lenin. Paris: Bordas, 1957.

LEFEBVRE, Henri. Da teoria das crises à teoria da catástrofe. Trad. Anselmo Alfredo, Carolina Massuia de Paulo e Thomas Ficarelli. In: GEOUSP, Espaço e Tempo, Revista de Pós-graduação, São Paulo, n. 25, p. 138-152, 2009

LENIN, Vladimir Ilitch. O Desenvolvimento do Capitalismo na Rússia. O Processo de Formação do Mercado Interno para a Grande Indústria. Trad. José Paulo Neto. Revisão com base no original russo Paulo Bezerra, Editor Victor Civita-Abril, 1982.

LENIN, Vladimir I. Imperialismo. Fase superior do capitalismo. In: LENIN, Vladimir Ilicht. Obras escolhidas. São Paulo: Editora Alfa-Ômega, Vol. 4, 1986.

LUXEMBURGO, Rosa. A acumulação de capital. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

LUKÁCS, Georg. História e consciência de classe. Estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003 LUKÁCS,

LUKÁCS, Georg. Para uma Ontologia do ser Social. tradução de Carlos Nelson Coutinho, Mario Duayer e Nélio Scheneider. São Paulo: Boitempo, 2013.

LUKÁCS, Georg. Lenin. Um estudo sobre a unidade de seu pensamento. São Paulo: Boitempo, 2012.

MANDEL, Ernest. O capitalismo tardio. Trad. Carlos Eduardo Silveira Matos. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos de 1844. In:FROMM, Erich. O conceito marxista do homem. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

MARX, Karl. O capital. Crítica da economia política. Trad. Régis Barbosa e Flávio R. Khote. L. I a V. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

MARX, Karl. Elementos fundamentales para la critica de la economia politica. (Grundrisse) 1857~1858. Trad. Pedro Scaron, L. I, II e III, México, Argentina, Espanha Colombia: Siglo Veintiuno, 1997.

MONBEIG, Pierre. Pioneiros e fazendeiros de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1984.

NOVAIS, Fernando A., Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 7ª. ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

OLIVEIRA, Francisco de. A Economia Brasileira. Crítica à Razão Dualista. São Paulo: Vozes, 1981.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SPENGLER, Oswald A. G. O homem e a técnica. Lisboa: Guimarães, 1993


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-0945