A GEOGRAFIA: ENSINO E INVESTIGAÇÃO DIDÁTICA NUM PAÍS EUROPEU PERIFÉRICO

Sérgio Claudino

Resumo


A evolução do ensino de Geografia em Portugal revela uma disciplina fortemente instrumentalizada pelo poder político e que adquire maior relevância quando se mobiliza em torno dos grandes projetos sociais da época, como sucedeu na segunda metade do século XIX. Após a perda do império colonial, o ensino da Geografia apostou, sucessivamente, na identificação com o próprio país e com a Europa. As tentativas de inovação didática ditadas pelas autoridades governamentais têm fracassado, o que demonstra que a inovação metodológica é feita com os atores educativos e não à margem destes. A investigação didática é reduzida, sendo desenvolvida pelos docentes universitários que trabalham na formação de professores. Em 2007, as autoridades unificaram a formação de professores de Geografia e de História, o que aponta para a integração das duas disciplinas, ao mesmo tempo que a formação acadêmica exigida é mínima - o poder político prepara-se para desvalorizaras duas disciplinas. A contestação a esta medida deu origem a uma petição pública nacional dos professores de História e de Geografia. Os novos desafios ao ensino de Geografia passam pela valorização das novas tecnologias e pela resposta aos apelos de participação cidadã nas tomadas de decisão publica - um desafio a partilhar no espaço mais alargado da Iberoamérica, que comunga de uma tradição cultural e de problemas sociais comuns. 


Palavras-chave


Geografia; Reformas Curriculares; Autoridades Educativas; Investigação; Didática; Cidadania

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-0945