A construção da nação nos livros didáticos de Geografia da Primeira República

Naiemer Ribeiro de Carvalho

Resumo


Esse artigo analisa a presença de uma ideologia nacional e a compreensão de como se formou e se criou uma ideia e imagem de Brasil nos livros didáticos de geografia do ensino secundário na Primeira República (1889-1930). Esse período decisivo à afirmação e definição da nacionalidade brasileira representou a transição da ideologia imperial para uma ideologia nacional com um Estado-Nação forte, civil e republicano. A unicidade e a centralização do território eram valores imprescindíveis. Para o pensamento geográfico, sua consolidação e sistematização no Brasil incluiu-se a participação da disciplina escolar. O cabedal teórico-metodológico mobilizado para a compreensão do espaço e da realidade vivida à época e registrada nos livros didáticos de geografia se apoiou na análise histórica do período, da geografia escolar e do pensamento geográfico. Desta conjunção foram extraídas as categorias de análise: Natureza e Território; e Civilização e Modernidade. Elas nos auxiliaram a perceber as transformações materiais e conceituais atuantes no imaginário passado sobre o território nacional, presentes nos livros didáticos de geografia e constituintes daquele pensamento geográfico.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.